English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 57, N° 2 (2009)

open journal systems


Risco e atividade de cárie em crianças com e sem infecção pelo HIV / Caries risk and activity in HIV infected children and their controls

Alice KELLY
Lívia Ferreira SOARES
Luciana POMARICO
Ivete Pomarico Ribeiro de SOUZA



Resumo

Objetivo: Determinar os fatores de risco e a prevalência de cárie em um grupo de crianças infectadas pelo HIV (GI), e em crianças sem evidência clínica de imunossupressão (GII). Métodos: Foram avaliados 133 pacientes de um Ambulatório de AIDS Pediátrica do Rio de Janeiro e 85 pacientes da Clínica de Odontopediatria da mesma instituição. Os responsáveis foram entrevistados, respondendo a questões sobre higiene bucal, dieta e medicação. As crianças foram examinadas, para determinação do índice de cárie (ceo/CPOD). O teste de Mann-Withney verificou a associação entre as variáveis, com significância de 5%. Resultados: Os dois grupos (GI: 6,8 e GII: 8,1 anos de idade) não apresentaram diferença significante no ceo/CPOD (ceo: 6,4 e 8,0; CPOD: 1,0 e 1,4 para GI e GII respectivamente). O GII apresentou mais elementos restaurados (p<0,05), assim como maior frequência de escovação (p<0,05). Nos dois grupos verificou-se que a maioria das crianças realizava escovação sem a supervisão de um adulto. Observou-se associação significante entre o ceo e o hábito de ingestão de sacarose entre as refeições no GII, embora no GI o hábito de ingestão de sacarose entre as refeições tenha sido maior (p<0,05). Foi constatado que 78,9% das crianças do GI faziam uso da terapia antirretroviral combinada, e que a forma de administração da medicação apresentou alto potencial cariogênico (45,1%). Conclusão: Os dois grupos apresentaram exposição a fatores de risco e alta prevalência de cárie. O hábito de ingestão de sacarose entre as refeições, em crianças sem evidência clínica de imunossupressão, demonstrou-se importante, associado à alta prevalência de cárie na dentição decídua.

Termos de indexação: criança; HIV; saúde bucal; sacarose; cárie dentária.


Abstract

Objective: To determine the risk factors and prevalence of caries in HIV infected children (GI) and in children with no evidence of immunosupression (GII). Methods: One hundred and thirty-three patients of a Pediatric AIDS Ambulatorial Service in Rio de Janeiro and 85 patients of a Pediatric Dentistry Service were examined. The patients’ guardians were interviewed, and provided information about children´s oral higyene, use of medication and dietary habits. The children were examined to determine DMFT and dmft indexes. The Mann-Whitney test was performed at a level of significance of 5%. Results: The two groups (mean age: G1=6.8 years, GII=8.1 years) showed no significant difference in dmft/DMFT indexes (dmft: 6.4 and 8.0; DMFT: 1.0 and 1.4 for GI and GII), but GII showed a higher number of restored teeth (p<0.05). GII showed also a higher frequency of toothbrushing (p<0.05), and in both groups, most of the children brushed their teeth withouth any adult supervision. Sucrose ingestion between meals was higher for GI (p<0.05). In GI 78.9% had been using combined antiretroviral therapy and the cariogenic potential of the therapy administration classified as high was the most frequently observed (45.1%). Significant association was observed only between dmft and sucrose ingestion in GII. Conclusion: GI and GII were exposed to risk factors for a high caries prevalence. The habit of sucrose ingestion between meals was considered an important factor associated with the high prevalence of caries in deciduous dentition in children with no clinical signs of immunosupression.

Indexing terms: child; HIV; oral health; sucrose; dental caries.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso