English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 59, N° 2 (2011)

open journal systems


Prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular e hábitos parafuncionais em estudantes universitários / Prevalence of temporomandibular dysfunction symptoms and oral parafunctional habits in university students

Suéllen Peixoto de MEDEIROS
André Ulisses Dantas BATISTA
Franklin Delano Soares FORTE, UFPB



Resumo

Objetivo
Verificar a prevalência de sintomas de disfunções temporomandibulares e hábitos parafuncionais em estudantes da área de saúde da Universidade Federal da Paraíba.

Métodos
Aplicou-se um questionário para 347 alunos da graduação do primeiro e último ano dos cursos de Odontologia, Medicina, Farmácia, Fisioterapia e Enfermagem. Os dados foram analisados de forma descritiva, e, quando possível, a análise estatística foi realizada pelo Teste do qui-quadrado e Exato de Fisher com nível de significância de 95%.

Resultados
A maior parte dos indivíduos apresentou disfunção leve (54,5%), e apenas 2,6% disfunção severa. Os hábitos parafuncionais mais frequentes foram sexo feminino foi mais prevalente em todos os graus de disfunção avaliados. A maior parte dos casos de disfunção severa (44,4%) apresentava-se entre os estudantes de Enfermagem, entre aqueles de faixa etária mais elevada (100,0%), entre os indivíduos que relataram praticar algum hábito (100,0%) e que se consideravam tensos emocionalmente (88,9%). Dos indivíduos que apresentavam hábitos, 30,6% relataram serem pessoas com algum grau de tensão emocional.

Conclusão
Concluiu-se que a maior parte dos indivíduos avaliados apresentou disfunção leve; a necessidade de tratamento estava associada ao sexo, curso, momento do curso, presença de hábitos e presença de tensão emocional; a prevalência de hábitos parafuncionais foi elevada, sendo o hábito mais predominante colocar a mão no queixo; houve associação entre a presença de hábitos e tensão emocional.

Termos de indexação: Hábitos. Prevalência. Transtornos da articulação temporomandibular


ABSTRACT

Objective
This study assessed the prevalence of temporomandibular dysfunction symptoms and parafunctional habits in students from the Federal University of Paraíba health courses.

Methods
A questionnaire was administered to 347 undergraduate students in the first and last years of dentistry, medicine, physiotherapy, pharmacy and nursing courses. The data were analyzed descriptively and when possible, the statistical analysis was done by the chi-square test and Fisher’s exact test, with significance set at 5%.

Results
Most individuals presented mild dysfunction (54.5%) and only 2.6% presented severe dysfunction. The most common parafunctional habits in females were holding the chin (36.31%) and sleeping on one side (32.27%). Most individuals with severe dysfunction (44.4%) were nursing students, older students (100%), students who reported having some habit (100%) and who reported being emotionally tense (88.9%); 30.6% of the individuals who reported habits also reported experiencing some degree of emotional tension.

Conclusion
Most of the studied individuals presented mild dysfunction. Need of treatment was associated with gender, course, course year, presence of habits and presence of emotional tension. The prevalence of parafunctional habits was high and the most common habit was to hold the chin. An association was found between the presence of habits and emotional tension.

Indexing terms: Habits. Prevalence. Temporomandibular joint disorders.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso