English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 59, N° 1 (2011)

open journal systems


Consultório odontológico na escola: análise da saúde gengival e do nível de higiene oral / Dental office in schools: analysis of the students´ gingival health and oral hygiene

Renata Almeida CHAVES
Anagélica Madeiro NEVES
Kênia Cristina de Oliveira MIRANDA
Isabela Albuquerque PASSOS
Andressa Feitosa Bezerra de OLIVEIRA



Resumo

Objetivo
Realizar um levantamento das condições de saúde gengival e higiene oral de crianças de duas escolas da rede pública de ensino, em João Pessoa, Brasil, diferenciadas pela presença (escola A) e ausência de consultório odontológico (escola B) em suas dependências, além de correlacionar essas condições a escolaridade dos pais e a renda familiar.

Métodos
A amostra foi composta por 170 alunos. Os índices utilizados foram: Índice de Sangramento Gengival, Índice de Placa Visível e Índice de Higiene Oral Simplificado. O nível socioeconômico foi determinado pela renda per capita. Foram aplicados o teste de qui-quadrado, Mann-Whitney U e correlação de Pearson (p<0,05).

Resultados
A prevalência de gengivite foi de 81,8%. Correlação estatisticamente significativa (p<0,01) foi identificada entre os três índices dos indivíduos das escolas A e B. Não houve diferença estatisticamente significativa em relação à presença de biofilme visível entre as duas escolas. Observaram-se associações entre a gengivite das crianças e a escolaridade dos pais (p< 0,05). A diferença entre renda familiar e as escolas A e B foi estatisticamente significativa, tendo 78,2% das famílias abaixo ou na linha de pobreza.

Conclusão
Pode-se concluir que a presença de consultório odontológico na escola não foi fator determinante para a presença de melhores condições de saúde oral.

Termos de indexação: Classe social. Gengivite. Índice periodontal. Saúde Pública.


ABSTRACT

Objective
This study investigated the gingival health and oral hygiene of students from two public schools in João Pessoa, Brazil, one with a dental office in the premises (school A) and one without (school B) and correlated these conditions with the students’ parents’ education level and family income.

Methods
The sample consisted of 170 students. The indices used were: Gingival Bleeding Index, Visible Plaque Index and Simplified Oral Hygiene Index. The socioeconomic status was determined by per capita income. The chi-square test, Mann-Whitney U test and Pearson´s correlation were used (p<0.05).

Results
The prevalence of gingivitis was 81.8%. A significant correlation (p <0.01) was found among the three indices of the students from both schools. There was no significant difference between the students of the two schools regarding the presence of a visible biofilm. Associations were found between students’ gingivitis and parents’ education level (p<0.05). The family income of students from schools A and B was significantly different, with 78.2% of the households of school A/B students being at or below the poverty line.

Conclusion
The presence of a dental office in the school was not a determinant for better oral health conditions.

Indexing terms: Social class. Gingivitis. Periodontal index. Public health.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso