English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 61, N° 1 (2013)

open journal systems


Relationship of the hyoid bone and posterior surface of the tongue for class II division 1 orthodontic patients / Posição do osso hióide e da superfície posterior da língua em melanodermas com maloclusão de classe II divisão 1

Elizete Nejm CARVALHO
Darcy Flávio NOUER
Ivana Uglik GARBUI
Paulo Roberto Aranha NOUER



Resumo

ABSTRACT

Objective
The objective of this study was to evaluate the hyoid bone position in the sagittal and vertical planes, on dolichoprosopic, brachyprosopic and mesoprosopic facial types.

Methods
Individuals with Angle Class II Division 1 malocclusion were compared with a control group (Class I). Lateral teleradiographs of 45 dark-skinned individuals (experimental group) were selected from the scientific archives of the São Leopoldo Mandic College of Dentistry. The control group comprised 22 dark-skinned individuals with Angle Class I malocclusion, selected from the same archives. The cephalometric distances ANS-PNS, ANS-PH, PT-PoPh, BV-PoPh, AH-PoPh were used for evaluation of hyoid bone position in the sagittal plane; in the vertical plane, the cephalometric distances evaluated were H-SN; H-FH; H-MP; H-PP; H-OP. The intraclass correlation coefficient (ICC) calculated from control group data to evaluate observer reliability was 0.91. Statistical analysis performed using one-way ANOVA and Tukey’s test at a 5% level of significance.

Results
No significant statistical differences were found for the position of the hyoid bone in individuals with Angle Class II Division 1 malocclusion, in both sagittal and vertical planes, when comparing all the facial types. When the groups of individuals with Angle Class I and II malocclusion were compared, differences were statistically significant in relation to the following vertical measurements H-SN; H-FH; H-PP; H-OP. However, there was no significant statistical difference for the H-MP cephalometric distance. Considering the sagittal measurements, only the distance ANS-PNS differed statistically between the groups.

Conclusion
In accordance with the absence of statistical differences among the facial types, it appears that an adaptation of the tegumentary tissue exists around the hyoid bone.

Indexing terms: Cephalometry. Hyoid bone. Malocclusion, Angle Class II. Orthodontics. Tongue.


RESUMO

Objetivo
Localizar o osso hióide no sentido sagital e vertical, nos três tipos faciais (braquifacial, mesofacial e dolicofacial), em indivíduos com maloclusão Classe II, divisão 1 de Angle, comparando-os a um grupo controle com oclusão clinicamente normal.

Métodos
Foram utilizadas telerradiografias de cabeça em norma lateral de 45 indivíduos com maloclusão Classe II divisão 1 (grupo experimental) melanodermas, selecionados do arquivo científico da Faculdade São Leopoldo Mandic. Como grupo controle, foi utilizada uma amostra de 22 indivíduos melanodermas com oclusão clinicamente normal, selecionada do mesmo arquivo. Foram avaliadas as grandezas cefalométricas para a determinação do posicionamento sagital do osso hióide: ENA-ENP, ENA-PH, PT-PoPh, BV-PoPh, AH-PoPh e para a avaliação do posicionamento vertical do osso hióide: H-SN; H-FH; H-MP; H-PP; H-OP. A fim de estimar a reprodutibilidade do operador, foi utilizado o Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI), a partir dos dados do grupo controle, e o valor obtido foi 0,91, considerado ótimo. As análises estatísticas utilizadas foram: teste t, ANOVA e Tukey, com nível de significância de 5%.

Resultados
Não houve diferença estatisticamente significante no posicionamento do osso hióide, tanto no sentido sagital como no vertical, nos indivíduos melanodermas de Classe II divisão 1, comparando os tipos faciais. Quando foram comparados os grupos com maloclusão Classe I e II, os resultados mostraram uma diferença estatisticamente significante quanto às medidas verticais: H-SN; H-FH; H-PP; H-OP. Já com relação à medida H-MP, não houve diferença significativa. Quanto às medidas sagitais, somente ENA-ENP apresentou diferença significante entre os dois grupos.

Conclusão
A ausência de diferença estatística entre os tipos faciais sugere haver uma característica adaptativa dos tecidos tegumentares ao redor do osso hióide.

Termos de indexação: Circunferência craniana. Osso hióide. Má oclusão de Angle Classe II. Ortodontia. Língua.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso