English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 56, N° 4 (2008)

open journal systems


Estudo descritivo de fissuras lábio-palatinas relacionadas a fatores individuais, sistêmicos e sociais

Dalyse Salles FREITAS E SILVA
Lucy Dalva Lopes MAURO
Luciana Butini OLIVEIRA
Thiago Machado ARDENGHI
Marcelo BÖNECKER



Resumo

Objetivos: Verificar os tipos de fissuras que mais acometem pacientes com menos de 12 anos de idade do Centro de Reabilitação das Deformidades Faciais, em São Paulo, e avaliar fatores individuais, sistêmicos e sociais.
Métodos: Uma amostra de 100 crianças e adolescentes portadores de fissuras lábio-palatinas foi selecionada com a finalidade de coletar dados quanto ao sexo, raça, tipo de fissura e lado afetado, síndromes, seqüências e malformações associadas, presença de antecedentes familiares de fissura e idade dos pais à época da concepção. Os pais dos pacientes responderam a um questionário previamente validado com questões fechadas para o fornecimento de dados quanto ao fator sócio-econômico. Todas as informações foram armazenadas em um banco de dados e submetidas à análise estatística descritiva.
Resultados: Sessenta e um porcento da população amostral era do sexo masculino e 92% era da raça branca. A fissura transforame incisivo foi prevalente (62%) e as fissuras unilaterais foram mais freqüentes (65,8%), sendo o lado esquerdo o mais afetado (44,3%). Em relação aos fatores sistêmicos, 22% dos pacientes eram portadores de síndromes ou seqüências; a seqüência mais freqüentemente associada foi a de Pierre Robin. Dentre as malformações associadas às fissuras lábio-palatinas, as doenças congênitas do coração foram prevalentes (37,9%). A recorrência familiar de fissuras foi evidenciada em apenas 23% dos casos. Os núcleos familiares eram compostos por pais casados (84%), que apresentavam nível superior (47%) e trabalhavam em período integral (81%).
Conclusão: Houve maior freqüência de fissura transforame incisivo e maior ocorrência no sexo masculino. As doenças congênitas do coração e a seqüência de Pierre Robin foram as mais freqüentemente associadas às fissuras lábio-palatinas. Não houve tendência familiar das fissuras lábio-palatinas, e a maioria das famílias apresentou boa condição socioeconômica e educacional.

Termos de indexação: fissura palatina; fissura labial; epidemiologia; síndrome; anormalidades congênitas.



Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso