English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 59, N° 1 (2011)

open journal systems


Prevalência de maloclusões em escolares de baixo nível socioeconômico / Prevalence of malocclusion in schoolchildren with low socioeconomic status

Denise Maciel CARVALHO
José Bento ALVES
Maria Helena ALVES



Resumo

Objetivo
Caracterizar a prevalência de maloclusões em escolares de 5 a 7 anos, com baixo nível socioeconômico e contribuir para o planejamento de ações de intervenção em Uberaba, Minas Gerais.

Métodos
Foram selecionadas, aleatoriamente, três escolas públicas para participarem do estudo localizadas nos três distritos sanitários da cidade. As crianças foram examinadas em ambiente escolar por examinadora e auxiliares treinadas. Foi examinado o universo de crianças, cujos responsáveis consentiram a participação no estudo. O instrumento de coleta de dados utilizou itens que constam nas classificações de Fisk e Moyers e outros auxiliares no diagnóstico das maloclusões. Para verificar a relação entre as variáveis foi realizado o teste qui-quadrado. Os dados foram analisados no programa estatístico SPSS 14.0 e o nível de significância adotado foi α≤0,05.

Resultados
Apresentaram algum tipo de maloclusão 87,7% das crianças, sendo que 55,8% de pele branca ou parda e oclusão tipo I (χ² = 39,210 p<0,0001). Apresentaram fala normal 88,6%, porém as crianças com 6 anos apresentaram um índice elevado de anormalidade na fala (49,2%), quando comparadas às demais (χ² = 18,455 p<0,05). A prevalência de mordida cruzada foi igual a 12,6%.

Conclusão
A prevalência das maloclusões apresentou-se alta em escolares de 5 a 7 anos de baixo nível socioeconômico em Uberaba, Minas Gerais. Há necessidade de elaboração de propostas de orientação para as crianças e seus familiares, envolvendo o sistema de saúde pública municipal para a adoção de estratégias preventivas.

Termos de indexação: Criança. Estudantes. Má oclusão. Prevalência.


ABSTRACT

Objective
To characterize the prevalence of malocclusion in children 5 to 7 years, with low socioeconomic status, and contribute to the planning of interventions in Uberaba, Minas Gerais, Brazil.

Methods
We randomly selected three schools to participate in the study, located in three health districts. Children were examined in the school environment by trained examiners and assistants. We examined the population of children whose parents consented for their children to participate in the study. The instrument used for data items contained in the classifications of Fisk and Moyers and other aid in the diagnosis of malocclusion. The relationship between malocclusion and collected variables was determined using chi-square test. The data were analyzed with SPSS 14.0 and the level of significance was set at α ≤ 0.05.

Results
87.7% of children had some type of malocclusion, and 55.8% had white skin or brown and occlusion type I (χ² = 39.210 p<0.0001). 88.6% had normal speech, and children under 6 years showed a high rate of abnormality in speech (49.2%) compared with other children (χ² = 18.455 p<0.05). The prevalence of crossbite was 12.6%.

Conclusion
The prevalence of malocclusion was high in children 5 to 7 years with low socioeconomic status in Uberaba, MG. It is important to develop guidelines for children and their families and to involve the public health system to implement preventive strategies.

Indexing terms: Child. Students. Malocclusion. Prevalence.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso