English Espaol

Buscar artigos: em     Busca Avançada

RGO - Revista Gaúcha de Odontologia > Vol. 58, N° 3 (2010)

open journal systems


Disfunção temporomandibular em indivíduos atendidos no setor de otorrinolaringologia / Temporomandibular disorders in otolaryngology patients

Paulo de Tarso de Carvalho BAYMA
Pedro Paulo FELTRIN
Carlos Alberto Silva DIAS
José Ferreira COSTA
Dalva Cruz LAGANÁ
Ricardo Tatsuo INOUE



Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência de disfunção temporomandibular em indivíduos que procuraram o serviço de otorrinolaringologia do Hospital da Universidade Federal do Maranhão. Métodos: Foram avaliados 303 indivíduos do serviço de otorrinolaringologia do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão em São Luís durante um período de três meses. Para captação e interpretação dos dados, bem como verificação da disfunção temporomandibular, foi utilizado um questionário auto-aplicado previamente validado. Resultados: Após coleta e interpretação dos dados de 303 indivíduos, os resultados obtidos foram: 61,7% (187 indivíduos) foram considerados como necessitando de tratamento ou avaliação odontológica, dos quais 67,7% eram do sexo feminino. Já 9,9% dos indivíduos não apresentaram sintomas de disfunção temporomandibular. Outros resultados mostraram que 48,51% dos indivíduos apresentaram dor de cabeça; 52,14% dor no pescoço e ombro; 50,49% dor na região do ouvido e 46,20% ruídos articulares. Conclusão: A prevalência de disfunção temporomandibular foi de 61,72%, sendo significativamente maior no gênero feminino (p=0,006); e as prevalências em relação aos índices, foram: disfunção temporomandibular ausente de 9,9%; disfunção temporomandibular leve de 28,4%; disfunção temporomandibular moderada de 36,6% e disfunção temporomandibular severa de 25,1%.

Termos de indexação: articulação temporomandibular; dor facial; epidemiologia; prevalência.


Abstract

Objective: The objective of this study was to assess the prevalence of temporomandibular disorders in individuals who visit the otolaryngology service of the Federal University of Maranhão hospital. Methods: A total of 303 patients of the otolaryngology service of the abovementioned university hospital located in São Luiz were assessed over three months. A previously validated self-administered questionnaire was used to collect and interpret data and to verify temporomandibular disorders. Results: The results of the data collected from 303 individuals and the respective interpretation were: 61.7% (187 individuals) were in need of an otolaryngological assessment or treatment. Of these, 67.7% were females. Only 9.9% of the individuals did not present symptoms of temporomandibular disorders. Other results show that 48.51% of the individuals had headaches, 52.14% had neck and shoulder pain, 50.49% had pain in the ear area and 46.20% had joint noise. Conclusion: The prevalence of temporomandibular disorders was 61.72% and significantly higher among females (p=0.006). Temporomandibular disorders were absent in 9.9%; mild in 28.4%; moderate in 36.6% and severe in 25.1% of the sample.

Indexing terms: temporomandibular joint; facial pain; epidemiology; prevalence.


Texto completo: PDF



Research
Support Tool
  For this
avaliação pelos pares artigo
  Context
  Action

Capa | Atual | Arquivos | Sobre | Avisar | Contato | Buscar | Acesso