Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Análise do comportamento das próteses implanto-suportadas e dos componentes pela técnica do cilindro cimentado com diferentes marcas de cimentos resinosos

Cláuber Antonio Gomes BORGES, Caio HERMANN, Geninho THOMÉ, Ivete Aparecida de Mathias SARTORI, Ana Paula Farnezi BASSI

Resumo


Objetivo: Avaliar o comportamento das próteses implanto-suportadas confeccionadas pela técnica do cilindro cimentado utilizando três marcas comerciais de cimentos resinosos. Métodos: Foram avaliados 53 pacientes, sendo 26 do sexo feminino e 27 do sexo masculino, com idades entre 25 a 82 anos. Resultados: Reabilitações parciais (54,43%) e totais (45,57%) sobre implantes do tipo hexágono externo, interno ou cone morse (Neodent®, Curitiba, Brasil), totalizando 237 fixações. Os cimentos utilizados foram Panavia® (21,94%), EnForce® (58,23%) e Rely X® (19,83%). O tempo em uso das reabilitações variou de 1 a 5 anos. Considerando todas as reabilitações, foram observados 5 cilindros (2,1%) soltos; 2 implantes (0,48%) foram perdidos após o primeiro ano em carga, 16 parafusos de retenção (6,75%) da prótese estavam soltos e 31 parafusos do pilar (13,08%) desapertados. Conclusão: As prováveis causas relacionadas as falhas foram falta de retenção interna na estrutura metálica, padrão oclusal, técnica de cimentação e condição de carga. A técnica do cilindro cimentado apresentou ser efetiva quando empregada em reabilitações parciais e totais implanto-suportadas, mantendo a estabilidade protética dos componentes envolvidos, independente do cimento utilizado, porém, mais estudos clínicos devem ser realizados.

 

Termos de indexação: implantes dentários; materiais dentários; prótese parcial fixa.


Texto Completo: PDF